10.3.16

Não tá tranquilo, não tá favorável...

A inspiração do título não podia ser mais cômica, afinal MC Bin Laden tá "de boas" no clipe de sua música "Tá tranquilo, tá favorável". Venho falar de dias difíceis (nada "de boas") com a maternidade. Não, não são dias tranquilos e nem favoráveis, mas claro, a gente dá conta. Sempre, né? Eu nunca tive a ilusão de que não seria difícil, não mesmo. Mas por mais que você tente imaginar, viva alguns exemplos perto de você, viver a maternidade é diferente. Cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é - e, no caso - a dor e a delícia de ser mãe.

Eu sou uma pessoa muito abençoada e de muita sorte. Não acho que as coisas boas que me acontecem caem do céu, tenho certeza que as mereço e que já fiz ou faço por merecer. Mas agradeço por ter uma mãe e um marido que realmente participam da vida diária da nossa família, que estão aqui ao meu lado e do Antônio, para o que der e vier, com suas limitações, claro. Tom foi um bebê que não me deu dores de cabeça. Mamou bem, desde que nasceu. Não teve cólicas, não chorava loucamente. Sempre dormiu bem e fácil. Sorridente, feliz, brincalhão. Sossegado com a vida e as situações, os colos e ambientes que a gente sempre os apresentou. Talvez eu esteja é mal acostumada por ter tido um bebê assim, tão "fácil". Desde que ele nasceu a maternidade para mim tem sido algo muito sossegado, tranquilo e feliz. Não digo fácil, porque não é, é difícil, você tem que ter paciência, uma doação tremenda, abdicar de um monte de coisas, mas, como disse, eu tinha ideia dessas coisas... Mas faz algumas semanas que não está sendo fácil.

Depois dos seus seis meses, Antônio tem passado por algumas mudanças que tem alterado seu estado de espírito. Primeiro ele aprendeu a chorar. Chora para quase tudo: para trocar, para acordar, para dormir, para comer, para pegar um brinquedo longe, para sentar, para deitar, para virar, para ter colo, para sair do colo, para pegarem o brinquedo que ele jogou no chão, para... Você já entendeu, né? Ele aprendeu que chorar tem reações rápidas da gente. Mesmo eu às vezes ficando na frente dele olhando para ele esperando ele parar de chorar, ele está usando muito desse "aprendizado" dele. Não sei se tem a ver simplesmente por ele já entender que ele não é uma extensão de mim, e sim um ser único. Não sei se tem a ver com os dois dentinhos incisivos que estão aparecendo (mesmo sem sentir febre, deve estar incomodando, muito). Não sei se tem a ver com o início da introdução alimentar. Só sei que tá difícil. Não tá tranquilo, não tá favorável.

Meus dias estavam "ligeiramente sob controle" antes da introdução alimentar. Já tinha conseguido entrar numa rotina de cuidar dele e trabalhar que estava bacana. Trabalhava pouco, mas era algo mais esperado. Com a introdução alimentar minha rotina pirou! Tem dia que eu faço 376 coisas, mas não consigo fazer uma sequer de trabalho. Tem dia que mesmo tendo tempo num cochilo dele para fazer algo, a única coisa que eu quero é um banho ou simplesmente ficar sentada no sofá. Tenho me sentido muito cansada, muito. A viagem a SP para o curso na eduK foi até tranquila, mas saiu da rotina dele, que estava começando a comer e ajudou a bagunçar tudo de novo. Não tivemos problema nenhum, mas nós três ficamos muito cansados. Nos fez perceber também que voltar em abril, que seriam três dias de curso, seria muito cansativo e não havia necessidade. E desisti de dar curso em abril. Nem só pela viagem em si, mas tudo que tenho que fazer antes para preparar um curso no nível que sempre faço, infelizmente hoje não cabe na minha rotina.

Foto: Mariana Leal

Ser mãe é não poder se programar - tanto. Ser mãe é acordar e imaginar tudo que você vai fazer naquele dia, e tudo mudar. Ser mãe é achar que você dá conta, sempre, e você realmente tem que dar conta mesmo. Eu tenho uma mãe (vovó do Tom) que me ajuda muito, muito mesmo, todos os dias. Tá aqui do meu lado, um amor incondicional e reforça ao meu filho que amor e paciência tem de sobra nessa casa! [e para mim, isso é o mais importante]. Eu tenho um marido que não ajuda, ele participa mesmo, veste a camisa, passa dos seus limites de cansaço e sono e tá sempre disposto a fazer o que for como pai e marido. Mas, por mais que essas duas pessoas maravilhosas e que eu amo muito se esforcem, às vezes, não tem jeito. Ter "alguéns" do seu lado é lindo e fundamental para você não pirar, eu diria. Compartilhar tarefas diárias, cuidados, amor e paciência é um privilégio de qualquer mãe e sei que nem todo mundo tem essa sorte e sou muito grata. 

Mas, tem alguns dias, poucos, que você, mãe, euzinha, chego a exaustão, de cansaço. E, mesmo você expondo isso (que já é algo difícil para um mãe), pedindo ajuda, mesmo assim, você ainda tem que dar conta. Sim, porque é só você que amamenta, porque é só o seu colo que acalenta. Porque você é a mãe. E a gente dá conta, né? É o jeito. Por mais que eu tente solucionar de outra forma (e eu penso nisso...), não, não te solução. [Um desses dias mais difíceis foi o Dia da Mulher agora, coincidência ou não!? rs...]

Antônio está nessa fase que me vê e chora. Ele pode estar se divertindo com a vovó ou o papai, mas me vê e chora. Simples assim. Ele me vê e chora. Eu confesso que preferia a fase que ele me via e ria... :) Estou torcendo para ser só uma fase. Estou torcendo para que a introdução alimentar seja mais leve com o tempo. Estou torcendo para que ele se lembre que não precisa chorar por tudo. Estou torcendo para que esses dias de exaustão sejam cada vez menores. 

Eu já julguei mãe que provavelmente em um dia desses que eu já vivi, falou de falta de paciência ou que tava cansada e exausta e precisava de um tempo... Eu já julguei mãe que estava no trabalho enrolando para sair mais tarde porque só naquele dia, apenas naquele, ela queria chegar em casa com o filho já dormindo... Eu já julguei mãe que saiu ou viajou sozinha sem o filho ainda bebê... E já julguei mulheres que não queriam ter filhos. Me envergonho por cada julgamento. Tenho uma tristeza mesmo, real, por já ter julgado assim. Como disse, "cada um que sabe a dor e a delícia de ser mãe". E eu tenho certeza que todas as mães querem o melhor para seus filhos. Que todas as mães os amam. Mas cada uma da sua maneira, como podem, como dão conta. Porque todas dão conta. 

Esse foi um post desabafo. Não gosto de reclamar e de "mimimi", mas precisava desabafar. Como já disse, só de escrever aqui já me sinto mais leve. Enquanto não posso descansar e dormir de fato, posso me "terapeutizar" comigo mesma nesse espaço. E só posso fazer isso porque Tom tá alí, com a vovó. Obrigada, mãe. :) E se você quiser me julgar, fique à vontade, nós mulheres e mães, já estamos acostumadas. Se você for mulher e me julga, só tenha mais carinho consigo mesma... Pense nisso. Porque não tá tranquilo, não tá favorável.

32 comentários:

  1. Tê dá cá um abraço!!! Vida de mãe é isso, é muito bom mas é muito cansativo, as fases daa crianças passam mas a grande responsabilidade materna continua. Tenho uma filha de 4 anos e essa semana tava pensando em que como grande parte do meu dia e dos meus pensamentos tem relação direta com ela ou coisas dela. Eu tbm ja julguei muitas mães antes de ser mãe, hj não mais, pq como vc diz, cada um sabe a dor e a delicia de ser. Olha, já ouviu falar em pico de crescimento? São coisas comum nos bebês, e que alteram o humor, o sono e a alimentação deles,se não ouviu falar procura no google, tem um texto muito bom no guia do bebê falando sobre picos e saltos do desenvolvimento. Espero que te ajude. Bjo

    ResponderExcluir
  2. Te fica firme, tudo isso, acredite, vai te dar saudade um dia. Aprendi uma coisa bem legal e que comigo sempre deu certo. Cada vez que rolava uma gritaria eu começava a falar baixo, olhando nos olhinhos mas sem parar de falar. Com o tempo eles paravam de chorar e ficavam tentando "entender" o que eu estava falando. Eles diminuiam os decibéis deles para ouvir os meus. Cada uma de nós é um universo, assim como eles. Comigo deu certo, tenta! Um beijo grande p vc e Tom! P.S: Esse menino é porreta rsrsrs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acredito que dê certo, pois dá com adultos. Cada vez que chegava um exaltado no meu plantão, eu respondi a baixo. Ele queria ouvir e baixava o tom. Eu baixava ainda mais. Dentro em pouco estávamos falando aos sussurros.

      Excluir
  3. Ai Tê gostei e fiquei me perguntando se minha mãe estivesse aqui para me ajudar um pouco, mas ela se foi há 12 anos,minha sogra não me ajudou, então os primeiros meses de Caleb foram muito difíceis pois não sabia banhar,identificar o choro,ele passava a noite acordado,metade do dia dormindo,teve um dia que amamentei tanto que passei mal,e assim fui aprendendo a dor e delicia de ser mãe!

    ResponderExcluir
  4. Faco minhas as tuas palavras Te. Sei bem o que é isso. No meu caso... marido viaja na segunda e volta na sexta, mamae mora em Sao Paulo e a Sogra em Porto Alegre. Eu moro na serra gaucha.

    ResponderExcluir
  5. Eu amei o seu texto. Você parece que descreveu perfeitamente a vida de uma mãe. O mais engraçado que hoje você esta cansada por essa fase nova que estão vivendo mas quando ele crescer mais um pouco só restaurá saudades ♥
    Obs.: Eles crescem tão rápido.

    ResponderExcluir
  6. Querida, queria muito te dar um abraço agora...pra te ajudar e me ajudar. .tenho três filhos e sei muito bem as dores e delícias de ser mãe. ..No momento estou enfrentando a dor de meu filho mais velho ter ido morar em outra cidade. .acredite, queria muito ter ele chorando e resmungando, não me deixando trabalhar e me fazendo passar a noite embalando em meu colo. .mas tenha certeza,o que vão ficar são as delícias, as dores você esquece... fico muito feliz por pessoas como vc que tem coragem de falar da maternidade como ela é realmente, com dores(muitas ) e delícias(infinitas ) ..Num mundo em que tudo que a gente fala é criticado, mas como vc diz, cada um sabe o que passa. .. seus problemas e sua história. ..bjao grande... muita fé e muita luz...

    ResponderExcluir
  7. Querida, queria muito te dar um abraço agora...pra te ajudar e me ajudar. .tenho três filhos e sei muito bem as dores e delícias de ser mãe. ..No momento estou enfrentando a dor de meu filho mais velho ter ido morar em outra cidade. .acredite, queria muito ter ele chorando e resmungando, não me deixando trabalhar e me fazendo passar a noite embalando em meu colo. .mas tenha certeza,o que vão ficar são as delícias, as dores você esquece... fico muito feliz por pessoas como vc que tem coragem de falar da maternidade como ela é realmente, com dores(muitas ) e delícias(infinitas ) ..Num mundo em que tudo que a gente fala é criticado, mas como vc diz, cada um sabe o que passa. .. seus problemas e sua história. ..bjao grande... muita fé e muita luz...

    ResponderExcluir
  8. Ter participado um pouquinho desta rotina é ver como uma mãe não tem que ser apenas uma mulher que hoje tem um filho, mas também ser uma super heroína que salva constantemente o seu próprio mundinho de um colapso.
    Mas creio e desejo que seja apenas uma fase. Antônio é lindo e abençoado. Posso comprovar que ele é muito amado e o quanto D. Antônia e Jorge fazem o possível e impossível para que você possa cumprir da melhor forma suas atividades superando este momento "eu choro e mamãe Te vem p/ me beijar, abraçar, ninar...rs...!
    Vai ficar... muito tranquilo e suuuuuper favorável. Uhuuuuuuuuuu!!!!

    ResponderExcluir
  9. Oi Tê! Querida, o Universo Mãe é algo assim como um universo paralelo / ET!!! :) Sou Mãe assumidíssima, só que não tive o Apoio que você tem; tive que abrir mão de TUDO, mas deu certo. Algumas considerações: a primeira, sou Pernambucanaaaa!! :) :) Temos um jeitinho próprio de ser, que aconchega o outro! :) Estudei Psicologia e aprendi umas coisitas, com relação aos Babys; eles são os queridos tiranos da nossa Vida! kkkkk Antonio chora quando lhe vê, porque você é a referência dele; o prolongamento dele. A Consciência da Individualidade acontece por volta dos três anos de idade. Ele ainda não desenvolve pensamento concreto, formal...Mas ele SABE o que funciona! :) É muito complicado, mas é assim mesmo. Com certeza, existe um conjunto de coisas que está contribuindo para o comportamento dele. Na verdade, o comportamento da Família muda, pois agora existe um Serzinho que se pronuncia e "faz cobranças"...Nem se percebe, mas as mudanças ocorrem em todos e ele sente também; externa de maneira muito própria, mas externa; não deixa de "opinar"! Caso você possa, faça Psicoterapia, ou melhor, façam. Ajuda MUITO! É difícil conciliar com equilíbrio, com harmonia, os papéis de Mãe, Esposa, Amante, Trabalhadora, etc... O que acontece no Consultório Psicológico, é que ajudamos a pessoa a se conhecer e se arrumar; a arrumar a bagunça que se instalou no "íntimo" dela. Aí a Vida fica melhor! As Dicas das Mamys são maravilhosas! E se juntar a isto, a Ajuda Psicológica, vai ser um espetáculo! Agora dica de Mãe: temos que satisfazer as NECESSIDADES dos nossos Babys; já satisfazer as VONTADES deles, requer uma vigilância constante, para não alimentar o tirano que existe em cada Ser humano. Afinal os nossos queridos vão crescer e vão levar consigo muito do que receberam, inclusive e principalmente quando eram Bebês. A fase mais importante do seu Filhote, em termos de Crescimento, é o Primeiro Ano de Vida. Leia "O Primeiro Ano de Vida - Renê Spitz"; indico também "A Vida do Bebê - Dr.Rinaldo Lamare". Ficará surpresa e agradavelmente esclarecida! Rsrsrsrs Querida, sabemos que tudo passa, mas se puder passar com qualidade, todos agradecem! :) Desejo que tudo se "arrume", que tudo fique simples, leve e alegre! Beijinhos mil no seu coração! Paz e Luz; Namastê. _/\_

    ResponderExcluir
  10. Querida, dê-se ao luxo de ficar cansada e descansar! Esquece o resto e vai descansar! É simples assi, e o resto fica para depois! Essa coisa de super mãe e super mulher é ficção! Faça uma coisa de cada vez, descanse sempre que puder! Em tempo e fora de tempo e espere o tempo passar!!! Ele vai crescer, acredite!!! Bjs

    ResponderExcluir
  11. Oi Tê! Estou gostando muito de poder acompanhar esse espaço seu!!! Sinto como se eu estivesse te visitando na sua casa. É acolhedor! Espero que você também possa sentir meu carinho, abraço e compreensão! Não te julgo, de maneira nenhuma! Não sou mãe ainda, mas penso muito sobre tudo isso que você está trazendo, pois esse tipo de coisa normalmente não é falada e a mulher pode achar que só ela se sente assim e se sentir mal com isso, até culpado. Somos seres humanos, temos sentimentos e ficamos cansados quando estamos sobrecarregados. Mãe pelo que vejo vive no limite na maioria das vezes, pois tem muita coisa envolvida! Admiro todas as mulheres e mães! Sou grata por você compartilhar porque tenho certeza que quando chegar minha vez, lembrar das suas palavras vai me fazer muito bem! Compartilho aqui com você o texto de outra mãe que li e acho que você vai gostar! http://voltemosaoevangelho.com/blog/2014/11/oracao-por-uma-mae-esgotada/ Beijos e muito carinho!

    ResponderExcluir
  12. Tê, entendo perfeitamente o que você sente , acho até que todas as mães sentem o mesmo ou já passaram pelas mesmas coisas, as mudanças são tantas e essa fase é bem complicada pois o bebê já entende que vc e ele não são mais a mesma pessoa, minha Alice fazia assim feito Antônio, chorei muitas vezes sozinha, mas aguentei firme embora o cansaço sempre me puxasse para o lado contrário, hj Alice tem 1 ano e nove meses e continua um chiclete , mas melhorou muito, vida de mãe tem seus altos e baixos mais acredito que por trás de tudo existe um amor incondicional que nos faz levantar de tudo isso, tenha calma , isso tudo vai passar e vai melhorar . Espero te ajudado.

    ResponderExcluir
  13. E assim mesmo, Tê. Mas essa fase passa, e, lógico, vem outras. Mesmo assim, quando eles crescem a gente se pega com saudades desse periodo exaustivo. Realmente, os dentes são as piores crises. a gente pensa que não pode ser tão dolorido assim, mas a dentista dizia que era rasgar a pele e que isso para um bebe é muuuuuito dolorido. Eu conversava direto com minha filha quando ela chorava e concordo com a Priscila, ela acabava parando para tentar entender. Tinha uma vizinha que dizia que ela ia aprender falar com meses, de tanto que eu falava com ela kkkkk. Quer saber, ela falou cedo mesmo kkkkk. Não vai ser fácil voltar aos cursos justamente por causa da preparação, mas logo ele vai aprender brincar sozinho e vc vai conseguir trabalhar perto dele e só na conversa. Respira fundo e descansa um pouco. Logo vai estar tudo bem. Bjus.

    ResponderExcluir
  14. Como é bom ver que as mulheres estão admitindo parar si mesmas que não são obrigadas a ser "super". Que temos momentos.não favoráveis e que isso faz parte. Às vezes eu me lembro o quanto chorei escondida por me achar culpada por estar cansada ou sem paciência. Até que um dia, uma amiga que é mãe me disse que eu não deveria me culpar, que eu tinha o direito de me irritar, de gritar, de dormir ou simplesmente não fazer nada.....como uma outra amiga diz, antes de ser mãe, nós somos gente...

    ResponderExcluir
  15. Quando me diziam que ser mãe era que nem videogame, vai passando de fase e vai ficando mais difícil, eu não botava uma fé... até ir passando de fase e ir entendendo do que estavam falando... Mas com isso entendi também que TUDO, absolutamente TUDO é realmente uma fase... e mesmo que a fase pareça uma eternidade, já que junta o cansaço, o exercício constante da paciência etc e tal, passa... TUDO PASSA... <3

    ResponderExcluir
  16. Aaaaai, Tereza!!! Que relato mais lindo, mais sincero e verdadeiro. Nossa, em alguns momentos eu pensei ouvir você chorar, sério! Mas, assim, mesmo não sendo mãe ainda, eu entendo você! Sim, costumo pensar que a carga é muito forte quando se coloca um ser nesse mundo tãããão acelerado, não é mesmo? É muito estranho ele ter aprendido a chorar, você percebeu se o ajudaram a entender que o choro chama a atenção das pessoas? Sei lá, talvez todas as mudanças estão o incomodando de alguma forma pois, estamos falando de um rapazinho, um ser humano com características e vontades próprias. Eu creio muito que isso é só uma fase. Tenho cinco sobrinhos e todos eles passaram, e nos fizeram passar, por isso. É que lá em casa o povo é meio que sua mãe e seu marido, sabe? hehehe. Fique bem, continue escrevendo lindamente, dá um prazer danado ler seus pensamentos. Tudo de bom e, não se esqueça, vou encomendar os meus carimbos com você! Se for preciso, brinco com seu filhote até você terminar hehehe.

    Bjs!!!

    ResponderExcluir
  17. Não se desespere, totalmente normal. Seu filhote é inteligente e por está testando, talvez seja a hora de falar duro com ele (ele entende), séria com a voz forte, se o coração doer, pense no bem estar futuro dele, tenha certeza que daqui pra frente ele testará todos os limites, os seus e os dele, mas o alento é que tudo passa. Sou mãe de 3 (20,18 e 10) e passa, e num momento de pirraça dele, respire fundo e grave, no futuro vocês darão risadas e a filmagem serve como hálibe na adolescência. Boa sorte, bj.

    ResponderExcluir
  18. Sei exatamente o que vc está sentindo....meus primeiros filhos são gêmeos..... Kkkkkk. A única dica que vou te dar para esses momentos é: Siga sua intuição, seus instintos. A natureza te dotou desse conhecimento Quando passei a ouvir minha voz interior tudo melhorou com meus filhos.Um grande beijo e fique com Deus.

    ResponderExcluir
  19. Oi, Tê, esse relato espelha tudo que todas as mães passam. Se o Tom está chorando muito, se está irritadiço, pode ser a dentição. Alguns bebês tiram de letra, outros sofrem muito. Meu neto mais velho ficava desesperado, mordia o nosso dedo com força. Pode dar diarréia também, embora os médicos digam que isso é tolice. Mas vai passar, logo ele vai voltar a ser o bebê risonho que sempre foi. Uma coisa, bebê é chantagista, percebem que chorando conseguem o que querem. Então, quando chorar vê se tem alguma coisa incomodando, se for só manhã, deixa chorar. O coração dói, mas ele vai aprender que tem limites, que tem mãe e não uma escrava. Boa sorte e muitos beijos.

    ResponderExcluir
  20. Aproveito para te parabenizar por ter a coragem neste desabafo,estas historias que mães postam de maravilhas é só uma ilusão que ela mesma acredita. Não é fácil ser mãe de jeito nenhum e isto não tem haver com amor,mas como ser humano,é exaustivo,nada pode ser programado e alista é longa.Agora saudades desta fase pode ter certeza que não. Ela vai passar ,não tive problemas em inserir alimentação com minhas filhas até porque toda a papinha que fazia era de legumes com carne,sucos naturais e em seguida o sagrado tete(mamadeira),e infelizmente não tive apoio de absolutamente ninguém , marido e pai omisso , não foi nada facil,gosto de as vezes lembrar das coisas boas,mas o inverso pesou bastante,quando fiquei gravida pela segunda vez sentei e chorei , mas vida que segue
    hoje são adultas e gracas a Deus bem formadas e resolvidas. Por isto Tê o que posso dizer é que bebes manipulam e muito bem , preste atenção aonde esta precisando de algo ou não.O pediatra me dizia :mãe ela esta comendo direito,mama bem , não esta doente ,então tenha a coragem de deixar chorar ela prenderá que este não é o caminho, é dificil é ,mas observe antes de fazer isto.Amor demais é problema,falta de amor é problema e nós seres comum temos que achar o equilibrio. Mas hoje Pediatras e Psicologos trabalham diferente , fazer o que .Desabafe sim faz bem , mas vai passar e outros tempos virão pois filhos são para sempre. Abraços desta sua fã

    ResponderExcluir
  21. Tê lindo seu desabafo, é uma fase e vai passar!!! Como nutricionista falo que a introdução alimentar numa criança é extremamente importante e é uma fase de super mega paciência!!! Como mãe imagino que seja difícil mesmo, pois quem cuida de mim é meu filho que foi para outro plano logo que nasceu, meu anjo!!! Mas vc é uma mulher mto forte e mto querida por mtos e todas as vibrações positivas estarão indo pra vcs nessa hora e Antônio e vc ficarão mto bem!!! Agora lembre-se mãe é manhã e isso é verdade rsrs!!! Um super bj bem carinhoso

    ResponderExcluir
  22. Tê, te admiro tanto! Seja forte! Ainda não sou mãe mas já ouvi tanto da minha mãe e da minha sogra que dá saudade dessa fase difícil! Tente levar com tranquilidade, peça ajuda quando precisar e não se culpe, não se julgue, a sociedade (infelizmente) já faz isso por nós. É bom ver desabafos assim, cada vez mais. Aí podemos perceber e cair na real que somos humanas e com todos nossos erros e acertos, cuidamos de quem nós amamos de coração, da melhor maneira que conseguimos. Em relação aos cursos, é melhor um passo de cada vez, não é? Quando você se sentir pronta para voltar às aulas, estaremos esperando por você! Um beijão!

    ResponderExcluir
  23. Tê, ainda não sou mãe. Embora tenha esse sonho enraizado, entranhado, latente é que cresce dentro de mim a cada dia.
    E como você, eu também não penso que será fácil.
    Ler seu desabafo, ( aliás, sua escrita é uma delicia de ler) faz ter uma ideia de que dias exaustos podem ser mais frequentes do que a gente imagina.
    Se valer pra você, sabe o que vou fazer? Vou rezar muito para que Jesus lhe dê ainda mais força, ainda mais paciência, ainda mais ânimo e te ajude espiritualmente e também por meio das pessoas que já te cercam. Rezarei também pelo Antônio! Para que o Anjinho da guarda dele o ajude ainda mais a passar pelas transformações que ele tem que passar. E todos vocês irem vencendo os desafios do dia a dia.
    Enquanto isso, já te dou os parabéns! Pela MÃE que é! Acompanho seu insta e vejo a sua dedicação ao seu gracinha! Parabéns pela força e também pela exaustão, que demonstra o quanto você é MÃE!
    Ah, e vou rezar também para que seus momentos de descanso merecido, sejam pra lá de bons e proveitosos, te dando sempre animo para a nova jornada do dia ❤️ Vai dar tudo certo!
    Fernanda Lacerda

    ResponderExcluir
  24. Bonito o seu desabafo, Teresa! Verdadeiro. Não julgue nunca, mas não se julgue. Isso é o mais importante. O que interessa é o equilíbrio. Esse que a gente passa a vida tentando ter! Ame muito, mas tb só amor não resolve! Enfim, é um aprendizado diário. (lembrei de quando tentei ser uma voluntária nas papeleiras e simplesmente... não deu). Acho que agora vc entende. Parabéns pelos seus dias e seja bem-vinda. Bjs

    ResponderExcluir
  25. Nossa Tereza que palavras fortes ne?! Vc é muito verdadeira, te admiro ainda mais por isso. Eu não sou mãe e estou bem naquele momento de decidir, o tempo urge e já não tenho tanto tempo, cada vez me convenço que não devo ser mãe apenas para dar uma satisfação para a sociedade, mas sim para satisfazer o meu desejo, mas não sinto esse desejo. Me sinto subjugada por isso, mas depois desse texto, vejo que não estou tão errada assim!
    Vc é maravilhosa, Deus te abençoe...

    ResponderExcluir
  26. Ô menina! É assim mesmo! Esses pequenos tem fases, são espertíssimos, manipuladores, às vezes ficam muito chatos. Tem dias em que a gente não quer o melhor nem prá filho nem prá ninguém, porque tá precisando de um descanso, uma saída, uma outra conversa. Normal, vida que segue. Repensa o próximo curso. Se serve do suporte que v tem e faz um tanto das coisas que te dão prazer. Fica tranquila, não tá favorável, mas passa. Um beijo
    LuFerreira

    ResponderExcluir
  27. Ô menina! É assim mesmo! Esses pequenos tem fases, são espertíssimos, manipuladores, às vezes ficam muito chatos. Tem dias em que a gente não quer o melhor nem prá filho nem prá ninguém, porque tá precisando de um descanso, uma saída, uma outra conversa. Normal, vida que segue. Repensa o próximo curso. Se serve do suporte que v tem e faz um tanto das coisas que te dão prazer. Fica tranquila, não tá favorável, mas passa. Um beijo
    LuFerreira

    ResponderExcluir
  28. Ô menina! É assim mesmo! Esses pequenos tem fases, são espertíssimos, manipuladores, às vezes ficam muito chatos. Tem dias em que a gente não quer o melhor nem prá filho nem prá ninguém, porque tá precisando de um descanso, uma saída, uma outra conversa. Normal, vida que segue. Repensa o próximo curso. Se serve do suporte que v tem e faz um tanto das coisas que te dão prazer. Fica tranquila, não tá favorável, mas passa. Um beijo
    LuFerreira

    ResponderExcluir
  29. Tê,
    É assim mesmo! Abrimos mão de muito pelos nossos pequenos e essa pausa ou desaceleração é mega importante para você como mulher, para o seu Tom e marido. Acho que agora você deve entender o que eu passei com os meus 3...
    Eu até hoje tenho um truque. O banheiro! Sim. Às vezes entro lá e tenho um tempo só para mim. Posso ler, responder e-mails e ver uns blogs...kkkk vai poder fazer isso sem interrupção enquanto estiver lá. Todos respeitam enquanto estamos lá dentro. É como uma cápsula do sossego, entende?! Vai poder recarregar as energias para enfrentar os momentos críticos do cansaço. Experimente!
    E no mais, lhe dou os parabéns! Vc é muita boa em tudo o que faz e na maternidade não está sendo diferente. Entrou para o time das guerreiras e está se saindo muito bem.
    Te admiro! Bjs!!!!
    Flavia Coutinho

    ResponderExcluir
  30. Te entendo 100% e compartilho desse momento também! Davi está com 5 meses. É uma benção. Sempre foi muito bonzinho, mas também está nessa fase do choro. Como meu leite secou, faz 1 mês que iniciamos a introdução alimentar. Às vezes tudo ocorre bem, outras nem tanto.
    Meu marido é super participativo, me ajuda demais. Mas tem coisas que só a mamãe consegue resolver... Por quê? Não sei... Talvez pela ligação tão íntima que tivemos desde o início, quando nossos bebês ainda estavam sendo gerados...
    Vivemos com um coração batendo fora de nós! Abrimos mão de muita coisa em amor a eles. E certamente nos moldamos e nos tornamos pessoas melhores por eles.
    A verdade é que essa "profissão" de carga de 24h/dia, é uma delícia impagável, mas traz uma rotina exaustivamente cansativa. Sim, damos conta! Temos que dar (kkkk)! E acho que não faz mal dar uma surtadinha para extravasar de vez em quando...
    Força para nós!!!!

    ResponderExcluir
  31. angela antunes17 março, 2016

    Oi, Tê. Sou sua seguidora na eduK, desde o primeiro curso e graças a eles e a você que estou entrando no universo da encadernação. Portanto, muito obrigada.
    Agora, lendo esse seu post como me lembrei de quando tive minha filha, hoje com 29 anos e com um filho de 8 anos. Foi exatamente assim. Não senti saudades nenhuma, passou, mas não quis tentar de novo. O que eu quero dizer é que passa, logo, logo vai entrar em outra fase pra vc curtir. Fica tranquila e DESABAFE mesmo. Se me permite te dar uma sugestão, existe um livro chamado "A Encantadora de Bebês", esse livro salvou a minha filha qdo ela teve meu neto. Muito ineressante. Bjs.

    ResponderExcluir