25.5.16

A sopa de cebola

Uma sexta-feira que para mim seriam como as outras que tenho já há algum tempo desde que Antônio nasceu. Igual a qualquer outra dia da vida! Rs... Umas 17h30 e uma grande amiga me manda um Whatsapp do nada com a seguinte pergunta: "O Tom mama para dormir?" kkkk Coisas entre mães... E eu mandei um áudio, porque é o que uma mãe, às vezes, consegue fazer, dizendo que sim, que ele estava nessa fase de mamar e dormir desde que nos mudamos... Daí ela respondeu: "Ah... Puxa, que pena. Ía te convidar para uma sopa de cebola." Dái na hora que eu li isso algo aconteceu dentro de mim e mandei outro áudio: "Ah.... Eu querooooo! Kkkk Precisooooo!!! E blá blá blá..."


Nem todos sabem mas decidimos nos mudar de casa, faz 3 semanas que estamos na casa nova, mas ainda sem finalizar a mudança. [Quem já se mudou com filho, diga aí, a mudança termina algum dia? rs...] Antônio já estava comendo pouco, após mudança passou a comer nada! :( Agora tá melhorando de novo, aos pouquinhos... Nesse meio tempo louco de mudança minha mãe ainda fez uma cirurgia de vesícula que em princípio era simples, mas complicou e ela teve que passar por dois procedimentos cirúrgicos em uma semana, o que deixou os dias mais tensos ainda. Inclusive tivemos que passar dois dias no hospital, eu e o Tom, com a vovó. Enfim, era uma sexta após esses dias que expliquei acima e estava, como eu posso dizer... Necessitada dessa sopa de cebola. Na hora liguei para o Jorge, meu marido e disse que minha amiga tinha me convidado e queria muito ir e se ela achava que era possível... Antônio estava mais manhoso ultimamente por conta de todas essas mudanças e como ele mama em mim, eu acabo sendo toda resposta que ele precisa. Mas Jorge falou, claro amor!!! E bom solucionador e homem das logísticas que ele é já bolou um plano de horários e talz...

Correrias com banhos e mamada, fui! :)

Usei vestido que não dá para amamentar e sutiã tomara que caia! Passei perfume!!! :) No meio do caminho lembrei que perdi a oportunidade de usar brincos e passar batom, ah! Puxa... Fiquei indignada de perder um pouco do meu precioso tempo tentando arrumar vaga e cheguei, inteira! Minha amiga tava lá e já tinha pedido a sopa e um croissant, perfeito. E aí nem sei o que dizer... Foram tantas palavras, sorrisos, conversas, desabafos, dicas, fofocas, suspiros! Como foi bom lembrar que é possível encontrar uma amiga, conversar prestando atenção 100% nela e na conversa, não ser interrompida, curtir esse momento. Como foi bom essas duas horinhas que pude ser a Tereza, mãe do Antônio, que ficou lá em casa com o pai. Isso é muito bom também. Faz uma falta danada no meu euzinho aqui e foi uma sexta-feira linda! Mas podia ter sido segunda ou quarta ou qualquer dia...

Quando meu marido mandou um whatsapp dizendo que era melhor eu começar a pensar em voltar, por causa do Tom, claro, eu fui e lá estava meu filho vivo, lindo e feliz, doido por uma mamada. Ele sobreviveu, gente! Meu maridão estava feliz por ter me ajudado a oportunizar esse momento e eu mais feliz ainda com meu pré-momento com minha amiga e minha família linda que eu amo tanto. Que delícia de noite! Meu marido ainda me lembrou: "Meu amor, você pode fazer isso mais vezes, viu?!" E eu me toquei que realmente eu achava que não podia, que o Antônio não ficaria bem sem mim, que ele choraria muito, que ele sentiria minha falta, que ele não pode ficar longe do meu peito... Virei para o Jorge e disse: "Realmente amor, eu posso! Ou melhor, eu mereço! A minha amiga me lembrou disso." :) Eu poderia dizer agora aqui: "E viveram felizes para sempre..." Mas eu sei e você sabe que não é bem assim. Ainda vou ter muito pano para manga aqui, e que bom! Mas #ficaadica para você que acha que não pode desgrudar do seu filho, você pode e faz bem! :)

Foi uma sopa de cebola... Mas podia ser um café, um fondue, uma bebedeira (porque não?! se liberta!), uma pizza, seja lá o que for... O importante é ter assim um tempinho de "mulher para mulher", com uma amiga especial. Super indico! :) Faz mais bem que qualquer remédio, que qualquer massagem, que qualquer dia em um spa! Obrigada por tudo que veio junto com a sopa de cebola, Tammy! Amo S&D!

Eu e Tammy em diferentes momentos desses mais de 20 anos de amizade! :)

12 comentários:

  1. Respostas
    1. é bom quando a gente se identifica, né?! :) beijos!!!

      Excluir
  2. Oi, Tê!
    Outro dia li um post seu e deixei para comentar depois e adivinha??? O depois não existe...
    Também estou com uma neném, maior que o Tom, com quase 3 anos, mas que necessita de muita atenção do mesmo jeito.
    Achei perfeito esse exemplo da "sopa de cebola", se a gente não fizer assim não achamos um pouquinho de tempo para nós. Não dá para só ser mãe, claro que ser mãe é muito bom, mas existe vida do outro lado da porta da rua!!!
    Eu sei que é difícil deixar eles em casa e sair, mas é preciso. Voltamos revigoradas!!!
    Meu conselho: Muita sopa de cebola para você!!!! Bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso mesmo Simony, perfeito esse "depois não existe"! kkk Olha eu aqui te respondendo só agora... Rs... :) E a verdade é que não importa quanto tempo eles tenham, né? Ser mãe é assim, ter outras prioridades mesmo... E é bom também! Mas como vc disse, temos que nos permitir fazer essas coisas, dar essas fugidas, nos reencontrar de novo! Que eu tenha muita sopa de cebola e você o que amar comer junto com uma amiga que toda mulher merece ter! :)

      Excluir
  3. por mais sopas de cebola com as amigas! necessário para todas nós!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uhuuu! Viva a sopa de cebola! :) #tamojunto

      Excluir
  4. Linda essa noite de sopa!
    O melhor de tudo que o Tom e seu marido sobreviveram e vc sobreviveu e renasceu. Bom demais, né?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eles sempre sobrevivem, né? A gente que acha que não...
      Ser mãe também é aprender a dar esse espaço e a se reencontrar como mulher e amiga nesses momentos, com as mudanças necessárias de uma mulher e amiga mãe! ;)

      Excluir
  5. Ai, ai... ainda rindo muito do desabafo e do incentivo/lembrete a todas nós mamães. E olha não é só com os bebês não. Meu filho tem 5 anos e ainda me "prendo" assim as vezes e esqueço de tomar aquele café, passar um tempinho a mais com os amigos queridos e me libertar! :)
    Em breve, espero possamos nos encontrar para a pizza com os amigos e para eu poder conhecer toda a molecada nova. Vai ser ótimo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai Carol, nem me fala... Eu já entendi que não importa a idade não mesmo. Isso é ser mãe. Mas cabe a gente lembrar da importância desses momentos e sentimentos. Aquela viagem foi bacana, né? Teve pizza, teve fazer as unhas, teve almoço, teve conversa e não vai ter golpe! Rs... Beijão Carol! :)

      Excluir
  6. Ô sopa que rendeu!!!
    E que bom que fiz parte disso!
    Viva a sopa de cebola!
    Viva nossos 20 anos juntas!
    Amo S&D!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aiiinnn Tammy, minha amiga, comadre, confidente, tira-dúvidas, ombro e tudo de mais um pouco... Como amo tu! <3 Obrigada pela noite, mas mais ainda por essa amizade linda de mais de 20 anos. Viva a sopa de cebola e viva a vida e maturidade que nos trouxe até aqui! Você foi minha amiga mais próxima que teve filho mais cedo e desde então aprendo muito com você sobre ser mãe! Gratidão! E beijo no coração! <3

      Excluir